Quem mais precisa do serviço público é a população carente, que não pode pagar plano de saúde e escola. Os governos ultraliberais que estão agora no poder têm como meta sucatear o SUS, escolas públicas e outras atividades essenciais, para depois justificar a privatização.

Com a privatização dos serviços básicos, a população de baixa renda será lançada à própria sorte e só quem tem dinheiro poderá ter acesso a médicos e à educação.

Não podemos deixar que essa política perversa domine o Rio Grande do Sul e o Brasil! No dia 2 de outubro, vamos escolher um governo e um parlamento que estejam ao lado do povo e defendam o serviço público.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *