Com 1.820 novos casos, RS ultrapassa a marca de 220 mil pessoas infectadas

Nas últimas 24 horas foram registrados 30 óbitos no estado, elevando o número de vítimas fatais para 5.312 

Com 30 óbitos registrados nas últimas 24 horas, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta sexta-feira (16), sobe para 5.312 o número de vítimas por covid-19 no Rio Grande do Sul. O estado também já registra 220.563 infectados pela doença, com a confirmação de 1.820 novos casos pela SES. Dos confirmados, 207.128 (94%) casos são tidos como recuperados. 

As vítimas fatais registradas hoje foram nas cidades de Porto Alegre (3), Alvorada (3), Canoas (2), Novo Hamburgo (2), Caxias do Sul, Passo Fundo, Santa Maria, Gravataí, Pelotas, Rio Grande, Cachoeirinha, Sapucaia do Sul, Esteio, Viamão, Sapiranga, Estância Velha, Santo Ângelo, São Borja, Igrejinha, Portão, Montauri, Maquiné, Protásio Alves e Porto Mauá.

A taxa de ocupação de leitos de UTI no estado estava em 71,2%, às 18h de hoje, sendo 1.817 pacientes em 2.551 leitos de UTI. Já em Porto Alegre, a taxa de ocupação fechou a quinta-feira em 85,86%. 

Mapa preliminar traz novamente três regiões com bandeira amarela

Divulgado no final da tarde desta sexta-feira, o mapa preliminar da 24ª rodada do Distanciamento Controlado mantém três regiões em bandeira amarela (risco epidemiológico baixo) e as outras 18 com laranja (risco médio), os mesmos números da semana anterior. A mudança é entre Pelotas, que estava na amarela e passa para laranja, e Cachoeira do Sul, que migra para amarela. 

De acordo com o governo do estado, o indicador que mais pesou para a região de Pelotas ter regredido para bandeira laranja é o registro de novas hospitalizações por covid-19: mais que dobrou em relação à semana anterior, saltando de 21 para 45. Houve, ainda, agravamento do indicador que mede os casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em leitos de UTI, que passou de 36 para 42 internados na comparação de uma quinta-feira para outra.

Na bandeira amarela estão as regiões de Cachoeira do Sul (em cogestão), Palmeira das Missões (em cogestão) e Bagé. Já na Laranja estão as regiões de Santa Maria (em cogestão), Uruguaiana, Capão da Canoa (em cogestão), Taquara (em cogestão), Novo Hamburgo (em cogestão), Canoas (em cogestão), Guaíba, Porto Alegre (em cogestão), Santo Ângelo (em cogestão), Cruz Alta (em cogestão), Ijuí (em cogestão), Santa Rosa (em cogestão), Erechim (em cogestão), Passo Fundo (em cogestão), Pelotas (em cogestão), Caxias do Sul (em cogestão), Santa Cruz do Sul (em cogestão) e Lajeado (em cogestão).

Números da  4ª rodada

• número de novos registros semanais de hospitalizações confirmadas com covid-19 aumentou 24% entre as duas últimas semanas (598 para 739);
• número de internados em UTI por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) reduziu 4% no estado entre as duas últimas quintas-feiras (760 para 732);
• número de internados em leitos clínicos com covid-19 reduziu 5% entre as duas últimas quintas-feiras (674 para 638);
• número de internados em leitos de UTI com covid-19 no RS reduziu 8% entre as duas últimas quintas-feiras (580 para 533);
• número de leitos de UTI adulto livres para atender covid-19 aumentou 5% entre as duas últimas quintas-feiras (de 687 para 722);
• número de casos ativos reduziu 3% entre as duas últimas semanas (de 10.302 para 10.011);
• número de óbitos por covid-19 reduziu 16% entre as duas últimas quintas-feiras (de 254 para 213).

País tem mais de 5,2 milhões de infectados

Conforme o Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass), foram registrados, nesta sexta-feira, 754 óbitos e 30.914 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma 153.214 mortes e 5.200.300 de contaminados pelo novo coronavírus. 

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.  

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 – Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email disquevigilancia@saude.rs.gov.br.

Edição: Marcelo Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *