Com 45 óbitos, RS tem novo recorde de vítimas da covid-19 em 24 horas

Doença já infectou mais de 36 mil em todo o estado, em 87% dos municípios, e levou a óbito 870 pessoas

via Brasil de Fato – RS

Nesta quinta-feira (09), a Secretaria Estadual da saúde (SES) registrou o maior número de mortes em decorrência do novo coronavírus em um dia desde o início da pandemia. Foram 45 óbitos, elevando o total de vítimas no estado para 870.

A SES informou ainda 1.015 novos casos de covid-19. Com isso, já são 36.464 casos confirmados da doença. Em ritmo de interiorização, 430 das 497 cidades gaúchas já tiveram moradores infectados, o equivalente a 87% do território.

Em sua conta no Twitter, a SES informou que os óbitos são de residentes nos municípios de Porto Alegre (11), Rio Grande (3), Viamão (3), Bento Gonçalves (2), Canoas (2), São Leopoldo (2), Alvorada, Cachoeirinha, Camaquã, Carazinho, Casca, Cerro Grande do Sul, Cruz Alta, Eldorado do Sul, Espumoso, Esteio, Farroupilha, Gravataí, Imbé, Iraí, Itacurubi, Lagoa Vermelha, Passo Fundo, Pelotas, Santo Ângelo, Sapiranga, Sapucaia do Sul e Tramandaí.

UTIs cada vez com mais pacientes com covid

Às 18h desta quinta, a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no estado estava em 73,2%, com 1.640 dos 2.239 leitos ocupados. Entre esses, 503 são de pacientes com covid confirmada e 136 com suspeita.

Em Porto Alegre, também nesta quinta, a taxa de ocupação estava em 84,37%. Dos 610 pacientes sob cuidados em leitos de UTI, 191 estão com covid e 47 com suspeita da doença – recorde de casos até o momento. Pelos dados da SES, a capital tem 3.726 casos confirmados da doença e já acumula 145 óbitos. Já conforme a Secretaria Municipal da Saúde, são 4.377 casos confirmados e 147 óbitos.

Mais de 69 mil morte no Brasil

Em todo o Brasil, nas últimas 24 horas, foram 1.220 óbitos e 42.619 novos casos de covid-19, segundo dados do Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) atualizados às 18h desta quinta. Com isso, já são 69.184 mortes e 1.755.779 pessoas infectadas pelo novo coronavírus no país.

Pontos de atenção

Em coletiva na tarde desta quarta (8), representantes do Ministério da Saúde foram questionados sobre a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que não se isolou imediatamente e até tirou a máscara ao conversar com jornalistas após o diagnóstico positivo no dia anterior. Segundo a pasta, os cuidados relacionados à saúde do presidente são de responsabilidade exclusiva de sua equipe médica.

O Ministério da Saúde também reafirmou que não pretende divulgar uma política nacional de isolamento, mesmo diante do aumento dos casos. A abertura ou fechamento do comércio continuam sendo atribuição dos estados e municípios, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  Organização Mundial de Saúde (OMS), em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.

Como ajudar a quem precisa?

campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 – Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email disquevigilancia@saude.rs.gov.br.

Edição: Marcelo Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *