Dia Mundial da Saúde será marcado por mobilizações de denúncia e defesa do SUS no RS

Sindicatos e organizações sociais farão atos simbólicos na Capital e debates virtuais

O 7 de Abril é instituído como o Dia Mundial da Saúde. Segundo o Conselho Nacional de Saúde, a data foi criada no ano de 1948, pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo a própria OMS, a pandemia aprofundou desigualdades, como o acesso à moradia, à alimentação, à água tratada e, principalmente, aos serviços de saúde.

No Rio Grande do Sul, esta data será marcada por mobilizações das centrais sindicais e demais organizações da sociedade civil. No próprio dia 7, pela manhã, ocorrerão algumas manifestações simbólicas na Capital.

Logo cedo, em torno das 7h, faixas e cartazes serão colocados em viadutos, passarelas e vias de Porto Alegre. A ação tem objetivo chamar atenção da sociedade para uma série de palavras de ordem, relacionadas com o tema da saúde e com o combate à pandemia no Brasil. Algumas das palavras de ordem reivindicadas são “Vacina já”, a quebra de patentes das vacinas estrangeiras, preservação de empregos, auxílio emergencial de R$ 600, além de pedir o “Fora Bolsonaro”.

Após, às 9h30, será realizado um ato simbólico em frente à Prefeitura de Porto Alegre. Serão levadas cruzes e um caixão para simbolizar as mais de 300 mil vidas que foram perdidas em função da pandemia, bem como para chamar a atenção da sociedade para a falta de alternativas apresentadas pelos governo, especialmente o federal.

Às 11h, ocorrerá também um ato simbólico em frente ao Palácio Piratini, organizada pelo movimento “Vacina Já“. A organização do movimento afirma que o ato pretende sensibilizar as autoridades para a urgência no processo de vacinação gratuita contra a covid-19.

Segundo a divulgação, o ato também tem como objetivo a entrega do manifesto do movimento, aos representantes do Executivo estadual, da Assembleia Legislativa e da Comissão de Representação Externa da mesma casa. O manifesto contém as assinaturas e reivindicações de todas as entidades que compõem o “Vacina Já”.

A organização do ato simbólico em frente à Prefeitura informa que, após as manifestações, sairão em marcha fúnebre até o Piratini, para somar no ato do Vacina Já.

Todas as organizações envolvidas reforçaram o pedido de que os participantes devem tomar medidas de cuidado pessoal e com o coletivo, como utilização de máscaras e higienização com álcool. Alertam também que os presentes respeitem o distanciamento entre as pessoas e a não realização de qualquer tipo de aglomeração.

Eventos online debatem a força do SUS, urgência da vacina e saúde mental

Diversos transmissões e debates ocorrerão na data, para marcar a luta por saúde e melhor combate à pandemia.

Logo às 12h, haverá o debate “Covid-19 e a saúde mental”, realizado e transmitido pelas redes do BdF RS e Rede Soberania. Contará com a presença virtual de Karla Nyland, psicóloga e psicanalista vincular, e de Elis de Pellegrin Rossi, que é psicóloga do CTI do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Ao final da tarde, às 19h, ocorrerá o evento “SUS forte e vacina urgente“. O debate é uma realização do Sindicato dos Servidores Públicos do RS (SindsepeRS), em parceria com o Brasil de Fato RS e Rede Soberania.

O debate será realizado ao vivo e trará especialista para debater a urgência da imunização da população brasileira, através da atenção básica do SUS. Segundo o SindsepeRS, o Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde é referência mundial e sempre desempenhou muito bem este papel, desenvolvendo amplas campanhas de vacinação todos os anos em todo o país.

“Entregar esta importante tarefa para a iniciativa privada é, no mínimo, irresponsável. O Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul defende a vacina gratuita pelo SUS para todos os brasileiros e brasileiras, respeitando obviamente a ordem dos grupos prioritários”, afirma a divulgação do Sindicato.

O evento começa às 19h e será transmitido no Facebook do Brasil de Fato RSRede Soberania e do SindsepeRS.

Central Única dos Trabalhadores realiza debate nacional

A CUT também realizará uma live às 19h, para debater o atual cenário brasileiro da pandemia. Foram convidados o senador Humberto Costa (PT), o médico sanitarista e pesquisador da Fiocruz Claudio Maierovitch e o presidente do Conselho Nacional de Saúde, Fernando Pigatto. Participa da live ainda a secretária de Saúde do Trabalhador da CUT, Madalena Margarida Silva, e Antônio Lisboa, secretário de Relações Internacionais da mesma entidade. O debate será transmitido no Facebook e Youtube da central sindical.

Outras entidades também realizam atos e mobilização virtual

O Conselho Nacional de Saúde informa que, na manhã do dia 7, às 10h, vai realizar uma live no Instagram da entidade, com o tema “Em defesa do SUS e da Vida de todas as pessoas”.

A Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares divulga que está promovendo a “Semana de Luta pela Saúde”, entre os dias 5 e 11 de abril, período em que serão realizados atos simbólicos presenciais e ações virtuais, em várias cidades do país. Confira no Facebook da Rede as ações que serão realizadas e como participar.


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS

Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa.

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

Edição: Katia Marko

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *