Em segunda semana, mapa preliminar apresenta somente duas regiões fora do alto risco

RS ultrapassa os 500 mil infectados, enquanto cerca de 95% da população do RS está sob alto risco de contaminação

O Rio Grande do Sul registrou 48 óbitos nas últimas 24 horas pela covid-19, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta sexta-feira (15). Com isso, já são 9.838 vidas perdidas no território gaúcho desde o início da pandemia.

O estado também ultrapassou a marca dos 500 mil infectados pela doença: até agora, já são 500.792 infectados pela doença, com a confirmação de 5.381 novos casos pela SES. É o quarto dia consecutivo com aproximadamente 5 mil novos casos registrados. Dos confirmados, 473.148 (95%) são considerados recuperados.

Porto Alegre é novamente a cidade com maior registro de óbitos (7), seguida por Caxias do Sul, Canoas, Rio Grande e Capão da Canoa com 3 registros de óbitos cada. Farroupilha, Santo Ângelo e São Luiz Gonzaga tiveram 2 óbitos cada. Nenhuma outra cidade teve registro de mais de uma vítima fatal.

A quantidade de municípios que ainda não registraram mortes por covid-19 segue caindo: dos 497 municípios gaúchos, apenas 78 não têm registro de vítimas fatais.

Pela segunda semana seguida, mapa preliminar apresenta maioria das regiões do estado em bandeira vermelha

De acordo com o mapa preliminar da 37ª rodada do modelo de Distanciamento Controlado do governo do estado, 19 das 21 regiões Covid estão com alto risco epidemiológico, o que representa 95,8% da população gaúcha sob alto risco de contaminação e esgotamento de leitos. Somente as regiões de Ijuí e Santa Rosa ficaram na bandeira laranja.

Confira aqui a classificação prévia da 37ª rodada.

Governo do estado promete entrega de leitos, recursos extra e estrutura para as vacinas

Segundo informa a Secretaria Estadual de Saúde (SES) do Rio Grande do Sul, serão instalados, em Pelotas, 10 leitos de UTI para atendimento exclusivo a pacientes com suspeita ou diagnóstico confirmado de covid-19.

Também na tarde de hoje (15), a SES anunciou que cerca de 200 hospitais do RS receberam cerca de R$ 75 milhões. Informa que, desse valor, R$ 60 milhões são do Ministério da Saúde, repassados às instituições que atendem pelo SUS. Os R$ 15 milhões restantes são oriundos do Tesouro do Estado.

Informa ainda que, desde dezembro, foram distribuídas 43 novas câmaras frias para a conservação de vacinas às 18 coordenadorias regionais, antecipando a logística para a vacinação contra a covid-19 neste ano. Ao todo, são 96 equipamentos em funcionamento, cobrindo todos os municípios do RS. Somada à estrutura da Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos (Ceadi), em Porto Alegre, a capacidade total de armazenamento é para até 10 milhões de doses.

O governo do estado também anunciou que a rede assistencial de saúde pública do Rio Grande do Sul está à disposição para receber pacientes de Manaus, no Amazonas, em consequência do esgotamento da rede hospitalar do município. O governo do estado foi sondado, mas ainda não recebeu nenhum pedido oficial do Ministério da Saúde para a utilização de hospitais gaúchos para essa finalidade.

Taxa de Ocupação de leitos está em 76% no estado

Às 18h de hoje, a ocupação em todo o estado estava em 76,6%, sendo 2.033 pacientes em 2.650 leitos de UTI, levando em conta 10 leitos extras instalados. Na rede privada, a ocupação era de 86% e no Sistema Único de Saúde, 73,2%. Entre os internados, 848 (41,7%) têm covid-19 confirmada e 118 têm suspeita da doença.

Em Porto Alegre, a quantidade de pacientes com covid-19 segue abaixo de 300. A taxa de ocupação das UTIs fechou o dia em 86,4%.

Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre, Restinga, Cristo Redentor e Moinhos de Vento seguem com a lotação máxima, sendo que o Instituto de Cardiologia, Hospital Nossa Senhora da Conceição, Mãe de Deus e Ernesto Dornelles estão com mais de 90% de seus leitos de UTI ocupados.

Entre os 684 pacientes internados na cidade, 280 têm covid-19 confirmada, 15 têm suspeita da doença e 6 estão na emergência aguardando UTI.

País registra mais de mil mortes nas últimas 24h, pelo quarto dia consecutivo

O Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) registrou, em boletim publicado hoje (15), mais 1.038 óbitos e 66.047 infectados em todo o país. Com isso, o Brasil já soma 208.133 mortes e 8.390.341 contaminados pelo novo coronavírus.

Manaus vivencia caos na saúde com superlotação e falta de cilindros de oxigênio; Venezuela envia ajuda

segunda onda da covid-19 no estado do Amazonas apresenta números alarmantes. Dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) apontam que tanto o número de mortes como o de novas contaminações mais que dobraram nas últimas semanas. O Brasil de Fato ouviu moradores da capital, Manaus, que narraram um cenário que mistura medo, indignação e revolta. 

“Está faltando leito, está faltando oxigênio, principalmente nos casos em que as pessoas precisam ser entubadas”, relata a assistente administrativa Lilian Gato, de 34 anos.

Além disso, o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, o maior da rede pública de Manaus, capital do Amazonas, suspendeu os novos atendimentos na manhã desta sexta-feira (15), devido à superlotação causada pelos casos de covid-19, segundo funcionários da unidade.

Com isso, somente casos muito urgentes, como vítimas de tiros e acidentes graves serão atendidas. “Está morrendo muita gente, e o 28 hoje já fechou”, afirmou uma funcionária que prefere não se identificar. 

Nesse sentido, a pedido do presidente Nicolás Maduro, o governo venezuelano está enviando cilindros de oxigênio ao estado do Amazonas. A informação foi confirmada pelo deputado federal José Ricardo (PT-AM) nas redes sociais, por onde o governador do estado, Wilson Lima (PSC) agradeceu ao governo venezuelano. Enquanto isso, o Itamaraty solicitou ao governo estadunidense ajuda para transportar cilindros de oxigênio. 

De acordo com o governador Wilson Lima, o consumo de oxigênio aumentou cerca de 130% de abril de 2020, o primeiro pico da doença, para o dia 13 de janeiro de 2021. 

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.  

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 – Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email disquevigilancia@saude.rs.gov.br.


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS

Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa.

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

Edição: Katia Marko

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *