Força-tarefa de Combate aos Feminicídios organiza ações no RS

via Brasil de Fato – RS

A Força-tarefa de Combate aos Feminicídios no Rio Grande do Sul, vinculada à Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa, realiza nesta quinta-feira (25), às 17 horas, reunião virtual para organizar seu calendário de atividades em 2021.

O encontro acontece no mês de março em alusão ao Dia Internacional da Mulher. Na reunião de hoje será apresentado o Manifesto do Levante Feminista Contra os Feminicídios, que tem lançamento nacional em evento online também nesta quinta, às 10 horas. 

https://www.facebook.com/v10.0/plugins/video.php?app_id=123400244719553&channel=https%3A%2F%2Fstaticxx.facebook.com%2Fx%2Fconnect%2Fxd_arbiter%2F%3Fversion%3D46%23cb%3Df189ae2b639372%26domain%3Dwww.brasildefators.com.br%26origin%3Dhttps%253A%252F%252Fwww.brasildefators.com.br%252Ff6363c80bc9da8%26relation%3Dparent.parent&container_width=320&href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FLevanteFeminista2021%2Fvideos%2F3783942531699539&locale=en_US&sdk=joey

O RS foi o terceiro estado brasileiro que mais matou mulheres vítimas de feminicídio em 2019, e é o quarto nesse quesito em 2020. Ao todo, no ano passado, foram 78 mulheres assassinadas no RS, vítimas de feminicídio.

A força-tarefa, lançada em 2019, trabalha para a garantia de políticas públicas que defendam a vida e a dignidade das mulheres gaúchas, através de trabalho conjunto entre os parlamentos, a Assembleia Legislativa, a Câmara dos Deputados, o Congresso Nacional, os demais poderes e os movimentos sociais.

O presidente da Comissão de Segurança e Serviços Públicos, deputado Edegar Pretto (PT), destaca a relevância do encontro, sobretudo neste período de pandemia, em que a incidência dos feminicídios vem aumentando. “A  Assembleia gaúcha reforça esse conjunto para enfrentar o grave problema que vivemos no estado, relativo às mortes de mulheres vítimas de feminicídio. A força-tarefa congrega várias forças para atuar nesse sentido”, observa.

O encontro virtual contará com a presença de autoridades de todos os poderes e lideranças dos movimentos de mulheres, feministas e ligadas aos direitos humanos.

Interessados podem acompanhar no canal da TV Assembleia no Youtube.

Edição: Katia Marko

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *