Para sindicatos, governo do RS segue a cartilha de desmonte do governo federal

Campanha lançada tem como objetivo demonstrar que apesar de dizer ser diferente, segue a mesma gestão nacional

via Brasil de Fato – RS

Nesta semana, o Sindicato dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (Sindsepe/RS) e Sindicato dos Servidores da Caixa Econômica Estadual do Rio Grande do Sul (Sindicaixa) lançaram uma campanha que tem como objetivo desmitificar a ideia de que o governo de Eduardo Leite (PSDB) seja diferente do governo de Jair Bolsonaro. Para as entidades, o governo do estado tem sido desastroso para o Rio Grande do Sul, tanto para o o serviço público quanto para o povo gaúcho. De acordo com as entidades, o executivo gaúcho busca se distanciar da imagem federal devido ao desgaste da mesma.

Em nota os sindicatos afirmam que a operação orquestrada pelo governo do estado é falsificadora, pois esconde o principal: a absoluta igualdade de ambos nas principais propostas de gestão, em nome de uma aparente e enganosa diferença de estilos pessoais. Diante disso as entidades criaram a campanha, para servir de esclarecimento, desmistificação e preparação para a luta contra os efeitos destes governos para o povo gaúcho, que consideram ser nefastos.

“Queremos retirar o véu de manipulação que a mídia retrata a atuação do atual governo do estado. Nada melhor do que mostrar os fatos que tornam Bolsonaro e Leite idênticos nas políticas implementadas”, afirma o presidente do Sindicaixa, Érico Corrêa. Ele ressalta que o confisco dos proventos dos aposentados, o congelamento de salários dos funcionários públicos e a venda do patrimônio público são promovidos em ambas as esferas. “Mesmo no enfrentamento da pandemia, apesar da diferença de discursos, o resultado é o mesmo: ceder aos empresários e forçar os trabalhadores a uma retomada insegura e perigosa” conclui o dirigente.

Por sua vez a presidente do Sindsepe/RS, Diva Costa, ressalta que a única saída é a luta. “Nossa campanha se dirige a toda a sociedade gaúcha, pois ao fim e ao cabo é ela que sofrerá com o desmonte do serviço público, como já ficou claro com os efeitos do desmonte do SUS em tempos de pandemia. Mas também é um chamado ao enfrentamento a estes governos. Cada dia fica mais claro que este modelo só traz dor e morte. Podemos e vamos vencer esta trágica política, mas para isto temos que ter uma postura ativa de denúncia e mobilização constante”.

Ainda segundo as entidades, a política aplicada por Leite tem sido uma continuidade do desmonte iniciado por Sartori e representado nacionalmente por Bolsonaro, a quem ajudou a eleger e com o qual se alinha no fundamental de sua política econômica e social.

*Com informações do Sindsepe/RS

Edição: Marcelo Ferreira

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *