Rio Grande do Sul se aproxima das 4 mil vítimas fatais devido à covid-19

Brasil de Fato – RS

Foram registrados 2.394 novos casos de coronavírus e 68 óbitos no estado nas últimas 24h

Com 68 óbitos registrados nas últimas 24 horas no Rio Grande do Sul, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta sexta-feira (11), sobe para 3.997 o número de vítimas por covid-19. O estado também já registra 153.475 infectados pela doença, em 489 dos 497 municípios, com a confirmação de 2.394 novos casos pela SES. Dos casos confirmados, 140.276 (91%) são tidos como recuperados. 

A cidade com mais registro de vítimas fatais hoje foi Porto Alegre, 18 óbitos. As demais foram registradas em São Leopoldo (6), Canoas (3), Alvorada (3), Santa Maria (3), Esteio (3), Caxias do Sul (2), Passo Fundo (2), Gravataí (2), Estância Velha (2), Novo Hamburgo, Bento Gonçalves, Rio Grande, Sapucaia do Sul, Osório, Viamão, Venâncio Aires, Sapiranga, Parobé, Três Passos, Gramado, Torres, Ibirubá, Guaíba, Canela, Igrejinha, São Jerônimo, Imbé, Soledade, Charrua, Planalto, Crissiumal e Sentinela do Sul. Mato Queimado teve sua primeira morte por covid-19.

Dados da SES continuam sem computar atualização dos casos confirmados na capital gaúcha. Enquanto o levantamento estadual traz 20.150 casos de covid-19 em Porto Alegre, o levantamento feito pela Secretaria Municipal da Saúde, atualizado até a noite de ontem, aponta 27.897 contaminados pela doença.

A taxa de ocupação de leitos de UTI no estado estava em 76,2%, às 18h de hoje. Já na Capital a ocupação é de 87,09%. A ocupação de leitos na macrorregião Metropolitana está em 78,6%. 

Mapa preliminar traz sete regiões com bandeira vermelha 

Com seis meses de pandemia no estado, o modelo de Distanciamento Controlado, em sua 19ª rodada, apresenta em seu mapa semanal preliminar sete regiões em bandeira vermelha, que indicam risco epidemiológico alto para a covid-19. As outras 14 regiões estão em bandeira laranja, classificação para risco epidemiológico médio.

Além de Porto Alegre, Erechim e Palmeira das Missões – três regiões que já estavam em bandeira vermelha e se mantiveram nesta rodada –, os indicadores apontaram piora em outras quatro regiões. Santa Maria, Guaíba, Passo Fundo e Caxias do Sul completam as sete regiões classificadas em vermelho neste mapa preliminar.

De acordo com o governo do estado, 253 municípios (do total de 497) estão classificados em bandeira vermelha, somando 5.753.746 habitantes, ou seja, 50,8% da população gaúcha (total de 11.329.605 habitantes). Desses, 115 municípios (501.855 habitantes, 8,7% do RS) podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

Ainda segundo o Executivo, houve queda em alguns indicadores em todo o Rio Grande do Sul. Entre eles hospitalizações (-7%) e internados em leitos clínicos (-14%). Ocorreu também estabilização no número de leitos livres.

País já registra mais de 130 mil vítimas fatais

Conforme o Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass), foram registrados, nesta sexta-feira 874 óbitos e 43.718 infectados no país. Com isso, o Brasil já soma 130,3 mil mortes e 4,28 milhões de infectados pelo novo coronavírus. Os estados com maior índice de infectados são São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Pernambuco, e Pará.  O RS aparece na 11ª posição.

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a  OMS, em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns até a crises mais graves como as provocadas pela síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.  

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 – Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email disquevigilancia@saude.rs.gov.br

Edição: Marcelo Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *