Roda de mulheres reforça a importância de redes de apoio e acolhimento

Na recepção uma mesa com sanduíches, biscoitos, café e suco. Quadros e frases traziam símbolos da luta feminista. Poesias de Cora Coralina e Gioconda Belli, música, um vídeo especialmente produzido para o momento, mimos na despedida. Detalhes na produção que demonstram a necessidade de criar espaços de acolhimento para as mulheres se reconhecerem e compartilharem suas dores, violências diárias e sonhos.

Assim foi a Roda de Conversa presencial realizada na noite desta quinta-feira, dia 24 de março, com a coordenação da presidenta do Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul – SindsepeRS, Diva Luciana da Costa, no Auditório do Sindicaixa.

Participaram 15 servidoras públicas de diferentes secretarias do estado. A professora Zila Farias, militante do Movimento Antirracista e integrante do Diretório do PSOL/RS, conduziu a conversa. As violências cotidianas, sejam físicas, psicológicas, emocionais ou simbólicas foram apresentadas e exemplificadas. Também se falou das violências vividas pelas mulheres negras, que são ainda maiores devido ao racismo estrutural que permeia as relações sejam amorosas ou profissionais. O diálogo franco e descontraído estabeleceu uma relação de confiança e abertura para que outras mulheres colocassem situações vividas em seu dia-a-dia. E ficou a certeza da necessidade da criação de redes de apoio e acolhimento entre as mulheres. “Precisamos nos ajudar!”, destacou Zila.

Na segunda-feira já havia sido realizada uma Roda de Conversa Virtual, pela plataforma Zoom. O encontro retoma uma proposta de criação desse espaço pelo SindsepeRS. Antes da pandemia, em março de 2020, o sindicato já havia realizado uma roda de conversa para marcar o 8 de Março.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.