SINDSEPE/RS e SINDICAIXA realizam novo ato em frente ao Piratini para denunciar o descaso, o arrocho e as mentiras do governo Leite

Na tarde desta quarta-feira (06), o Sindicato dos Servidores Públicos do estado do Rio Grande do Sul, SINDSEPE/RS, e o Sindicato dos Servidores da extinta Caixa Econômica Estadual (SARH/RS), SINDICAIXA, realizaram mais um ato em frente ao Palácio Piratini, na Praça da Matriz, em Porto Alegre – RS, para denunciar o descaso, o arrocho e as injustiças que caracterizam o modo como o governo Eduardo Leite (PSDB) trata os trabalhadores e trabalhadoras do serviço público gaúcho. A manifestação contou com a presença de servidores e servidoras da capital e de diversos municípios gaúchos como Osório, Erechim e Santa Maria. 

Anteriormente, no dia 18 de Agosto, os dois sindicatos e as categorias já haviam realizado um ato frente ao Palácio Piratini no intuito de exigir 45% de reajuste salarial, já que estes trabalhadores e trabalhadoras estão há 7 anos amargando sem reposição inflacionária e com o salário consumido em quase metade do poder de compra. Recebidos pelo Chefe de Gabinete da Casa Civil naquela ocasião, os sindicalistas assistiram ao governo firmar o compromisso de marcar uma audiência em 15 dias para o debate da pauta apresentada, na presença do Secretário da Fazenda, do Secretário do Planejamento e do Chefe da Casa Civil. Quando o prazo se esgotou e o governo não contatou mais os sindicatos, ficou evidente que essa era só mais uma manobra da gestão que atenta contra o funcionalismo desde o primeiro dia em que botou os pés no Palácio Piratini.

Durante o ato, a presidenta do SINDSEPE/RS, Diva Luciana da Costa, afirmou que apesar da cara de bom moço, Eduardo Leite (PSDB) só se mexeu para atacar os(as) servidores(as) e privatizar os serviços públicos, seguindo a mesma cartilha neo-liberal de seu antecessor, o qual tanto criticou na campanha eleitoral. “Leite realizou uma duríssima reforma administrativa, que destruiu as carreiras do funcionalismo e alterou o estatuto dos(as) servidores(as), retirando direitos historicamente conquistados pelas categorias como avanços, adicionais e licenças-prêmio”, ressaltou. Ainda de acordo com Diva, o governador também aprovou a reforma da previdência, proposta pelo seu parceiro político Jair Bolsonaro (Sem Partido) a nível nacional, alterando de forma drástica as futuras aposentadorias e instituindo o desconto previdenciário aos aposentados, o que reduziu em até 15% os salários dos que já estão sem reposição há anos.

De acordo com o presidente do Sindicaixa, Érico Corrêa, o governador está fazendo economia às custas do sofrimento dos servidores. “O 13º salário que ele vai pagar em dia esse ano é exatamente o mesmo valor que ele tirou das pessoas mês a mês. Os aposentados pagaram, em 2021, exatamente um salário para que o governo, agora, no final do ano, devolvesse de forma demagógica”, afirmou. De acordo com Érico, Leite aumentou a renúncia fiscal no RS para a casa de R$ 20 bilhões e segue pagando uma dívida que ninguém consegue explicar a origem e muito menos a composição. “O governador não teve sequer a honradez de lamentar o que está fazendo com os servidores públicos. Pelo contrário, ele comemora o superávit à custa do sofrimento do funcionalismo”, destacou. As direções de SINDSEPE/RS e SINDICAIXA tentaram novamente ser recebidas pela casa civil antes do final do ato, mas os sindicalistas e a categoria do funcionalismo que estavam na praça foram barrados pelo esquema de segurança do palácio com a alegação de que o governo não poderia os receber na data, escancarando como é falsa a premissa de que o governo Leite é um governo de diálogo. Para que a vergonhosa atitude da gestão não passasse despercebida, a categoria finalizou o ato aguardando por 45 minutos em frente à porta do Palácio, em alusão aos 45% de reajuste salarial que são reivindicados.

Fotos: Iury Casartelli

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *